Categoria: Fica a Dica

Escolhendo um tablet

13 jun 2011


Decidi que queria um tablet por conta da praticidade e ausência de poeira. Como? No tablet você consegue armazenar livros, fotos e músicas, ou seja, sem a poeira de álbuns, bibliotecas e cds. Ao ganhar o meu ganhei espaço e não expiro mais com a poeira, que beleza! O Galaxy vem com uma biblioteca virtual com 12 livros gratuitos e com aplicativo da livraria cultura que traz links com mais livros gratuitos, para quem gosta de ler é tudo de bom!
Então, ganhei de presente o tablet, mas já estava pesquisando e pesquisando e já tinha feito alguns testes para ajudar na escolha de qual seria mais interessante: Ipad2, Xoom ou Galaxy? Meus resultados sempre foram: Galaxy Tab. Abaixo o link de um dos que eu fiz, faça e descubra qual se adequa a sua necessidade:

Foto: Ipad2, Xoom e Galaxy Tab. Apesar de ser o menor o zoom do Galaxy é perfeito é faz com o que o tamanho não seja um problema. O Galaxy possui dois aplicativos que os concorrentes Xoom da Motorola, Ipad2 da Apple não possuem: televisão digital e analógica (antena) e é smartphone. O que não contei? O Galaxy serve como celular o áudio do fone bluetooth e do viva voz são perfeitos. A televisão demora um pouquinho para sintonizar, mas a imagem e o áudio são perfeitos. Outra ferramenta que me conquistou é o aplicativo que grava vídeos da televisão. Para um jornalista isso é ouro. Acredite conseguir recuperar um vídeo na Rede Globo não é tarefa fácil. É necessário ofício com uma série de especificações para conseguir que eles regravem o vídeo.
A bateria do Galaxy aguenta dois dias seguidos ligado, bom ele desliga a tela e economiza energia igual ao celular comum. Considero um aparelho de fácil entendimento quando liguei pela primeira vez me mostrou todas as instruções necessárias para manusear o aparelho. Na questão do smartphone pede para colocar o chip da sua operadora e configura rapidamente. Não quer usá-lo como celular, tudo bem e só pular essa instrução sem traumas. A resolução da câmera é boa para o trivial online, para foto impressa há perda de qualidade. A qualidade da gravação de vídeo é muito boa. Ah a capa protetora do Galaxy vem com ele, a do Ipad2 e do Xoom são compradas separadamente.

Bom, eu não tenho do que reclamar apenas agradecer o presente que ganhei. Sugiro o Galaxy Tab para quem quiser um tablet com um formato interessante, consigo segurar por horas e não me canso.

Foto1: http://showmetech.com.br
Foto2: http://www.v3.co.uk

-__- É vergonhoso, mas ainda não baixei as fotos que tirei com o meu Galaxy.

Lumix traz para clientes salão de beleza portátil

5 mar 2011


Já imaginou sair sempre bela, sem olheiras e aquela cara de acabei de acordar nas fotos. Não é sonho lá no Japão essa façanha já existe. A máquina fotográfica da Panasonic Lumix FX77 traz essa função.
A Lumix FX77 tem o recurso para maquiar fotos sem o mínimo trabalho. Depois de tirar a foto você pode maquiar, clarear os dentes, retirar olheiras e rugas, dar aquela bronzeada e muitos mais. Ou seja, cara lavada nunca mais.
O preço é salgado, primeiro porque é vendido em Libra britânica (GBP), ou seja, na conversão para o real. Pesa muito no bolso, mas para quem interessar tem no site da .
Foto Reprodução: Panasonic Lumix FX77

Nova tendência para os pés o Wedge?

21 fev 2011


O wedge é o salto da vez no inverno, estilo anabela foi destaque nas botinhas da SPFW.

A revista gloss postou a sugestão: “Nossa versão baratinha é o abotinado da coleção outono/inverno da Pernambucanas, por R$ 79,90”.

Outras opções:

Laranja altíssimo, Colcci. Com meia, da New Order. E o de ilhoses da Ju Jabour.

Modelos de sapatos

25 fev 2009

 

A matéria de hoje traz o amor das mulheres, o tema é sapatos. O sapato é um acessório indispensável para um bom visual, uma roupa adequada com um sapato errado ou estragado é erro certo. Se pensar em conforto aconselho aderir a sapatilha que ganha em vários quesitos dos outros sapatos, pois são: pequenas, leves e confortáveis. Saber se o sapato é confortável é visível pelo modo que a pessoa caminha, pois pé inchado, bolhas e calo não são malefícios necessários. O mais aconselhável é sair para comprar o sapato depois de um dia de trabalho, o pé já vai estar no ponto para sentir o “engana pé”. O “engana pé” é aquele sapato que você experimenta na loja e fica maravilhoso e depois no dia seguinte com o pé relaxado com a primeira pisada você já sente algum incômodo. Sapato tem que ser comprado com calma ande bastante na loja com o calçado e não se engane achando que aquele incômodo que surge no momento vai passar. O vendedor sempre vai te dizer que o sapato vai melhorar que vai afrouxar, é o trabalho dele. Desça do salto dependendo da situação um scarpin no clube não combina. É essencial ter bom senso nas combinações.

Modelos:

1)Sapatilha – modelo fechado sem salto ou com pequeno salto. Foto: Janaína Valadares

2) Peep Toe – Esses são sapatos fechados, mas são abertos na frente, geralmente aparecem os dedos.

3)Sandália: sola fixada aos pés através de tiras, tornozeleiras. Deixa a maior parte do pé exposta.

4) Chanel: abertura na parte traseira com uma tira circundando o pé.

5)Scarpin: modelo fechado, a boca se estende até um pouco acima dos dedos do pé.

6)Tamanco: modelo com solado de madeira ou materiais sintéticos é aberto na parte de trás.

7)Bota: modelo com cano alto, baixo ou médio com vários materiais para produção.

8)Ankle boots: são botas de cano curto que ficam na altura do tornozelo.

9)Summer boots: são parecidas com as ankle boots, mas são mais leves e arejadas. Uma característica deste modelo é o solado meia-pata.

Senta que lá vem história…

Estudos mostram que os sapatos foram inventados na Mesopotâmia (hoje Iraque), há mais de 3.200 anos. Eram feitos de couro macio para facilitar a travessia das trilhas montanhosas. No Egito, entre 3.100 a.C. e 32 a.C. somente os nobres usavam sandálias de couro e os faraós usavam calçados adornados com ouro. No Império Romano os calçados denunciavam a classe ou grupo social do indivíduo. Na Idade Média, a maioria dos sapatos tinha a forma das atuais sapatilhas. E o padrão da numeração veio como? Foi criação do rei inglês Eduardo (1272-1307). Durante a Revolução Industrial, no início no século XVIII, na Inglaterra, as máquinas passaram a produzir calçados em larga escala. Já no século XX foram introduzidos novos materiais e técnicas e o processo passou a ser setorizado entre: design, modelagem, confecção e distribuição. A necessidade dos atletas originou um novo segmento na indústria, que possibilitou a criação de tênis tecnológicos. E a partir dos anos 80 ocorreu o aumento do número de pessoas que passaram a consumir calçados de grife, tanto os mais simples quanto aqueles assinados por grandes estilistas e verdadeiros artigos de luxo.