Workshop do Boticário

28 fev 2011


Ontem, domingo (27/02/11) participei do workshop de maquiagem da marca O Boticário. A inscrição é gratuita e o Boticário fornece o material da marca. O workshop tem duração de duas horas e é ministrado pelas vendedoras da loja que pegam uma menina no shopping com a cara lavada (sem maquiagem). A maquiagem é dividida em três etapas pela vendedora.

– Primeira Etapa:
1) Lavar a pele com sabonete facial
2) Passar um tonificante facial
3) Passar hidratante com protetor solar
4) Passar o primer facial (produto para fixar a maquiagem). Esse produto é só na zona T (testa, nariz, buço, queixo) e nas maças do rosto, não passa no olho.

– Segunda Etapa:
1) Passar a base na pele com movimentos de cima para baixo. Espalhar no rosto menos nos olhos.
2) Passar o corretivo nas olheiras (manchas roxeadas na parte inferior do olho) e para suavizar espinhas. Corretivo é aplicado dando leves batidinhas com os dedos, nunca espalhar. Porque quando você espalha com movimentos circulares você estimula a circulação piorando a sua olheira.
3) Passar o pó na zona T e na maça do rosto. Nunca passar o pó nos olhos ou perto deles, porque o pó evidencia as marcas da pele.

– Terceira Etapa:
1) Passar primer para o olho nas pálpebras e na região próxima a sobrancelha. Esse produto serve como um fixador de sombra prolonga o efeito. Esse não é o mesmo produto do primer facial, é mais leve e específico para região dos olhos.
2) Passar o lápis preto ou marrom na linha próxima aos cílios e no côncavo. Hein? O côncavo é a parte mais funda que fica entre a pálpebra e a sobrancelha. Quando marcamos o côncavo, temos a sensação de um espaço maior da pálpebra, fazendo o olho crescer. O risco do lápis você vai esfumar de fora para dentro. [Essa parte eu tive dificuldade, mas a moça me disse que com a prática melhora o resultado].
3) Passar até na metade da pálpebra uma sombra iluminadora de dentro para fora.
4) Passar uma sombra escura (marrom, prata, vinho) em cima do esfumado do côncavo.
5) Passar lápis na pálpebra inferior.
6) Aplicar a máscara de cílios. [A vendedora aplicou em mim, não curto esse troço meu olho fica grudando]
7) Aplicar o blush de fora para dentro. No início da bochecha passar com movimentos circulares depois descer o pincel até próximo ao nariz.
8) Batom ou gloss.
😀 Tá pronta para badalar e se divertir…
Bom, eu amei o workshop me ensinou a entender como aplicar os produtos.

– Foto: Janaína Valadares.
Foram utilizados somente produtos do Boticário na foto.

Então, são duas horas de workshop que podem ser marcados durante a semana ou no final de semana. O curso acontece no shopping Boulevar Center na asa norte.
O telefone do Boticário do Boulevard é (61) 3448-3394.

Livro do mês – O Boticário maquiagem by Fernando Torquatto

25 fev 2011


O que eu aprendi com: O Boticário maquiagem by Fernando Torquatto ?

Aprendi a ter paciência, simplesmente porque desde 13h30 estou tentando fazer uma sombra que simpatize com a da capa do livro. É um tipo de foto clássica que todo mundo que comprou o livro está tirando e postando. Então agora 15h00 após a pausa do almoço consegui acredito eu algo plausível de ser apresentado.

Foto: Lija Valadares

Então o livro eu comprei na Boticário do Extra no SIA, mas ele está à venda em todas as lojas. Essa belezura custou R$ 89,00. Eu não achei caro porque o livro é capa dura, tem 254 páginas, 31cm de comprimento por 26cm de largura e é dividido em 15 capítulos.

Amei esse livro porque o Fernando Torquato, maquiador, explica e mostra nas fotos em detalhes como fazer uma maquiagem do modo correto. O livro traz inúmeras dicas de maquiagem as fotos são do fotógrafo Jacques Dequeker. Além disso, junto ao livro vem também um DVD e um óculos 3D que faz com que as fotos tenham um efeito mais do que especial. O DVD é tem um video do making off das fotos.

Então aí você pensa: Eu nem gosto dessas maquiagens pesadas! Não reclame o livro traz vários tipos de looks e dicas para todos os tipos étnicos: casual, noite e praia. E ainda traz dicas de cuidados básicos pré e pós-make.

E para quem quiser se aprimorar ainda mais na arte da maquiagem eu aconselho o curso grátis que a Boticário está oferecendo é só se inscrever. Então, são duas horas de curso que podem ser marcados durante a semana ou no final de semana. Eu já marquei o meu nesse domingo às 16h. O curso acontece no shopping Boulevar Center na asa norte.
O telefone da Boticário é: (61) 3448-3394.

Nova tendência para os pés o Wedge?

21 fev 2011


O wedge é o salto da vez no inverno, estilo anabela foi destaque nas botinhas da SPFW.

A revista gloss postou a sugestão: “Nossa versão baratinha é o abotinado da coleção outono/inverno da Pernambucanas, por R$ 79,90”.

Outras opções:

Laranja altíssimo, Colcci. Com meia, da New Order. E o de ilhoses da Ju Jabour.

Modelos de sapatos

25 fev 2009

 

A matéria de hoje traz o amor das mulheres, o tema é sapatos. O sapato é um acessório indispensável para um bom visual, uma roupa adequada com um sapato errado ou estragado é erro certo. Se pensar em conforto aconselho aderir a sapatilha que ganha em vários quesitos dos outros sapatos, pois são: pequenas, leves e confortáveis. Saber se o sapato é confortável é visível pelo modo que a pessoa caminha, pois pé inchado, bolhas e calo não são malefícios necessários. O mais aconselhável é sair para comprar o sapato depois de um dia de trabalho, o pé já vai estar no ponto para sentir o “engana pé”. O “engana pé” é aquele sapato que você experimenta na loja e fica maravilhoso e depois no dia seguinte com o pé relaxado com a primeira pisada você já sente algum incômodo. Sapato tem que ser comprado com calma ande bastante na loja com o calçado e não se engane achando que aquele incômodo que surge no momento vai passar. O vendedor sempre vai te dizer que o sapato vai melhorar que vai afrouxar, é o trabalho dele. Desça do salto dependendo da situação um scarpin no clube não combina. É essencial ter bom senso nas combinações.

Modelos:

1)Sapatilha – modelo fechado sem salto ou com pequeno salto. Foto: Janaína Valadares

2) Peep Toe – Esses são sapatos fechados, mas são abertos na frente, geralmente aparecem os dedos.

3)Sandália: sola fixada aos pés através de tiras, tornozeleiras. Deixa a maior parte do pé exposta.

4) Chanel: abertura na parte traseira com uma tira circundando o pé.

5)Scarpin: modelo fechado, a boca se estende até um pouco acima dos dedos do pé.

6)Tamanco: modelo com solado de madeira ou materiais sintéticos é aberto na parte de trás.

7)Bota: modelo com cano alto, baixo ou médio com vários materiais para produção.

8)Ankle boots: são botas de cano curto que ficam na altura do tornozelo.

9)Summer boots: são parecidas com as ankle boots, mas são mais leves e arejadas. Uma característica deste modelo é o solado meia-pata.

Senta que lá vem história…

Estudos mostram que os sapatos foram inventados na Mesopotâmia (hoje Iraque), há mais de 3.200 anos. Eram feitos de couro macio para facilitar a travessia das trilhas montanhosas. No Egito, entre 3.100 a.C. e 32 a.C. somente os nobres usavam sandálias de couro e os faraós usavam calçados adornados com ouro. No Império Romano os calçados denunciavam a classe ou grupo social do indivíduo. Na Idade Média, a maioria dos sapatos tinha a forma das atuais sapatilhas. E o padrão da numeração veio como? Foi criação do rei inglês Eduardo (1272-1307). Durante a Revolução Industrial, no início no século XVIII, na Inglaterra, as máquinas passaram a produzir calçados em larga escala. Já no século XX foram introduzidos novos materiais e técnicas e o processo passou a ser setorizado entre: design, modelagem, confecção e distribuição. A necessidade dos atletas originou um novo segmento na indústria, que possibilitou a criação de tênis tecnológicos. E a partir dos anos 80 ocorreu o aumento do número de pessoas que passaram a consumir calçados de grife, tanto os mais simples quanto aqueles assinados por grandes estilistas e verdadeiros artigos de luxo.