TAG: Pense Nisso

? Eu seria mais feliz se aceitasse o meu cabelo natural?

22 jan 2015


 Hoje trago uma pergunta que sempre rondou meus pensamentos, ao contrário da grande maioria da sociedade eu sempre quis cabelos ondulados, o meu cabelo natural é liso e castanho escuro. O meu encantamento por cabelos ondulados veio da minha irmã mais velha, que tem cabelos ondulados, eu sempre achei lindo o seu cabelo. Hoje vi essa campanha da agência Ogilvy & Mather de Paris e vi como é importante a imagem que passamos para as crianças, vem comigo pensar sobre esse assunto no texto de hoje…

Então eu já tive cabelo loiro, ruivo, preto  e minha cor natural qual é? A minha cor de nascença é o castanho escuro e cabelo liso, e sim eu sofri bullying, meu cabelo era liso “que a vaca lambeu”. Logo vendo essa campanha me recordei de uma vez que estive em um salão e nele entrou uma menina com o cabelo cacheado mais lindo que eu já vi, eu olhando maravilhada o cabelo dela e em contrapartida ela admirando o meu “liso lambido” e veio a cabeleireira perguntando se ela ia fazer chapinha e ela toda feliz disse sim. Aí meu Deus eu não aguentei e falei: Mais, por que o seu cabelo é tão lindo, cheio de volume e cachos. E ela respondeu: Lindo é o seu cabelo liso, o meu é feio, não gosto.

Eu insisti junto com a mãe dela tentando explicar a beleza das suas madeixas, mas fomos voto vencido e ela foi fazer a chapinha. Agora a grande questão, por que essa menina não vê a beleza do seu cabelo? Eu a entendo, me transporto hoje para o seu mundo, no qual eu abro revistas e só vejo moças de cabelo liso, as grandes cantoras adolescentes que eu escuto também tem cabelo liso, ligo a televisão e a maioria das personagens e digo as principais tem cabelo liso, será que eu sou tão errada de admirar o tão adorado cabelo liso?


É muito triste chegar a essa conclusão, sim o meio influencia por completo a imagem do que é bonito para essa criança. Por favor, apelo todo MEU, meninas com os cabelos cacheados mais lindos e encaracolados não escondam os seus cachos, coloquem no mundo nas ruas…desfilem essas belezuras por aí, você pode um dia passar do lado dessa menina e ela vai ver por completo como é linda a beleza natural de um cabelo.

Abaixo o vídeo da campanha…



Desculpem o desabafo, mas esse vídeo me levou de novo aquele dia no salão e eu tinha que vir aqui fazer esse apelo.


Texto: Janaína Valadares

Resenha Literária: A culpa é das estrelas

9 abr 2014


Prometi na virada do ano que vou ler um livro por mês, o escolhido do mês de março foi “A culpa é das estrelas” escrito por John Green. O livro tem 288 páginas de puro romance, se você não gosta de livro de romance não se dê ao trabalho. A história é entorno de Hazel Grace, adolescente e paciente terminal de Câncer. Segundo Hazel “o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico”. Até que ela conhece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer, o bonito, charmoso, adepto de cigarro na boca, mas não fumante (só quem ler o livro vai entender o que eu disse), Augustus Waters. É claro como todo bom romance vão descobrir diversos infinitos particulares, mas serão felizes para sempre? Só lendo para saber.


Dei três estrelas, pois esperava mais da narrativa, mas em alguns momentos não prendeu minha leitura, bem detalhista e cansativo. Comprei “Cidades de Papel” do mesmo autor, vamos ver se a minha impressão muda, normalmente dou duas chances para um autor, fiz isso com Harry Potter e continuo achando ruim demais da conta. 

Comprei no Walmart por R$ 29,90.

Resenha Literária: Casamento Blindado

25 mar 2014


Prometi na virada do ano que vou ler um livro por mês, o escolhido do mês de fevereiro foi “Casamento Blindado” escrito por Renato & Cristiane Cardoso. A narrativa com 268 páginas funciona com um manual para um relacionamento de sucesso. O interessante é encontrar a visão feminina (Cristiane) e masculina (Renato) de um mesmo evento relatado. Os autores tomam como ideia que o casamento é como uma empresa.
Pode parecer uma visão materialista, mas não é nesse caso Renato nos mostra como ficamos acomodados no cotidiano. Para isso cita como exemplo discussões cotidianas em que alteramos a voz e gritamos com o nosso companheiro, fato que não repetimos no trabalho. Inclusive cita o exemplo de no meio de uma discussão e toca o telefone e mudamos o tom de voz para atender o chefe, sendo que não conseguimos repetir essa maturidade ao conversar com o cônjuge. No final de cada capítulo os autores provocam o leitor a postar no seu twitter e/ou facebook frases de apoio, eu cheguei a postar uma para experimentar, mas não senti necessidade de continuar postando.
O livro não foge de assuntos polêmicos como “sexo” e “divórcio” e os aborda de forma direta. Uma palavra a meu ver define a mensagem desse livro: respeito. O respeito no modo de tratar, falar e até agir com o seu cônjuge. 

É importante frisar que os autores cristãos e por isso, sim o livro tem a Bíblia como bússola, mas não dita regras de religião. Acho importante lembrar esse fato, pois isso para certos leitores já é determinante como fator de compra. 
Comprei na livraria Saraiva por R$ 29,90, mas vi hoje no site e está custando atualmente (25/03/2014) R$ 23,90 ().

Quatro estrelas, pois é uma leitura densa e 
admito que larguei o livro um pouco de lado em alguns momentos.
Foto e texto: Janaína Valadares 

Oscar 2014

4 mar 2014


No domingo (02/03) foi realizada a cerimônia da 86ª edição da premiação do Oscar 2014. A mestre de cerimônia desse ano que trouxe um ar cômico para a premiação foi a atriz,  apresentadora e humorista,  Ellen DeGeneres. Ela mandou entregar pizza para os convidados, tirou “selfies” dela e dos convidados. 

Mas, chega de enrolação os premiados foram:

MELHOR FILME

“12 Anos de Escravidão”

MELHOR ATOR

Matthew McConaughey, por “Clube de Compras Dallas”

MELHOR ATRIZ

Cate Blanchett, por “Blue Jasmine”

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Jared Leto, por “Clube de Compras Dallas”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Lupita Nyong’o, por “12 Anos de Escravidão”

MELHOR DIRETOR
Alfonso Cuarón, por “Gravidade”

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
“Ela”, escrito por Spike Jonze

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

“12 Anos de Escravidão”

MELHOR ANIMAÇÃO

“Frozen: Uma Aventura Congelante”

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

“A Grande Beleza” (Itália)

MELHOR DOCUMENTÁRIO

“A Um Passo do Estrelato”

DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM

“The Lady in Number 6: Music Saved My Life”


TRILHA SONORA

Steven Price, por “Gravidade”

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

“Let it Go”, de “Frozen” – Música e letra de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez

FIGURINO

“O Grande Gatsby”

CABELO E MAQUIAGEM

“Clube de Compras Dallas

MELHOR CURTA
“Helium”

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

“Mr Hublot”

MELHOR EDIÇÃO

“Gravidade”

EFEITOS VISUAIS

“Gravidade”

FOTOGRAFIA

“Gravidade”

DESENHO DE PRODUÇÃO

“O Grande Gatsby”

EDIÇÃO DE SOM

“Gravidade”

MIXAGEM DE SOM

“Gravidade”

Bom, em relação as escolhas de moda das celebridades vi muito vestido amassado, pode isso produção? Pois é, vestidos com estilo menos princesa, modelo com a saia volumosa, enfim senti falta do glamour.

Veja abaixo os meus favoritos:


Penélope Cruz de Giambattista Valli


Kelly Osbourne de  Badgley Mischka – aviso esse cabelo roxo grisalho é uó


Sandra Bullock de Alexander McQueen


E vocês curtiram essa versão mais cômica do Oscar? 
Sentiram falta do glamour?
Beijos e até amanhã