TAG: Quinta Stylist

ARTDECO

5 fev 2015


O Quinta Stylist de hoje traz a história da marca de cosméticos, ARTDECO. Venha conferir…
A marca ARTDECO foi criada em 1985 por Helmut Baurecht. Desde seu lançamento, a companhia expandiu para 78 países e rapidamente se tornou a marca número 1 da Alemanha, ultrapassando algumas das principais marcas de cosméticos do mercado. O segredo da marca ARTDECO são  os seus produtos especiais e beauty boxes magnéticas recarregáveis, que possibilitam o usuário customizar sua própria paleta de cores, de acordo com as suas necessidades. Atualmente a ARTDECO é vendida em mais de 8.000 institutos de beleza, 7.800 perfumarias, 500 lojas de departamento exclusivas e 100 lojas duty-free ao redor do mundo. Sua missão é criar a experiência cosmética mais incrível para deixar a mulher moderna de hoje ainda mais bonita. 
Eu tenho uma paleta da ARTDECO inclusive fiz post dela ()
E para mostrar o seu dinamismo a marca já escolheu dos seus produtos o representantes da cor Marsala no seu catálogo:

Os produtos de ARTDECO são distribuídos no Brasil com exclusividade pela
Frajo Internacional de Cosméticos.
Telefone de Atendimento ao Consumidor: 
Facebook:
Fonte e Imagem: Tacla Consultoria de Comunicação

Giorgio Armani

29 jan 2015


O estilista Giorgio Armani é italiano de Piacenza, ma Emilia-Romagna, norte da Itália, nasceu em 11 de julho de 1934, fundou a sua companhia, a Giorgio Armani S.p.A., em 1974. Armani inspirou sua linha feminina em trajes masculinos, mas aprimorou os acabamentos, tecidos e corte para privilegiar o corpo feminino.  

O estilista frequentou a faculdade de medicina na Universidade de Milão, por dois anos e completando suas obrigações militares, em 1957, trabalhou em uma loja de departamentos, La Rinascente, como um decorador de vitrines, dando início então sua carreira no mundo da moda. De 1961 a 1970, estabeleceu uma união com Nino Cerruti construindo a sua carreira como designer. Encorajado pelo amigo, Sergio Galeotti, lançou em 1974, sua primeira coleção masculina. Gradativamente começou a adaptar as suas criações para a linha feminina, lançando a sua primeira coleção, em 1975, em parceria com Galeotti. A modelo oficial da Giorgio Armani é a atriz Michelle Pfeiffer, inclusive o estilista, está com um desfile especial desde 2007 com o tema de Super-Heróis e a principal personagem é a vilã de Batman em 1992 a Mulher-Gato interpretada pela atriz. Como é de se imaginar assim como no filme, a Mulher-Gato da Armani rouba a cena nas passarelas.

Empório Armani tem uma linha de alta qualidade em roupas de luxo de moda e de discussão sobre as tendências e características modernas. Em janeiro de 2010, o famoso jogador de futebol, Cristiano Ronaldo, e a estrela de cinema de Hollywood, Megan Fox, se tornaram o rosto masculino e feminino da Empório Armani, que se uniu com a Reebok para criar sapatos da moda sob o rótulo chamado EA7. Esta coleção de outono contará com a estrela do pop, Rihanna. É a única linha de Giorgio Armani que é projetado principalmente por Giorgio Armani, e tem uma cena na semana de moda de Milão a cada ano, enquanto Armani Collezioni, Armani Jeans e Armani Exchange não.

Suas roupas são confortáveis, geralmente de linhas retas e bastante sóbrio, porém, feito de materiais selecionados, não abusa de colorido, apesar de incluir aplicações de pedras preciosas e fios de metal.

Fonte e Fotos: e Wikipédia

Postagens relacionadas

? Década de 30

24 jul 2014


A década de 30 traz uma peça criada e utilizada diariamente pelas mulheres até hoje, as “beauty cases” (estojos de beleza). Quer conhecer mais da década de 30, então prepare-se para embarcar em uma viagem para a década de 30.
Como a sociedade sofre uma grande transformação com  a queda da Bolsa de Valores de Nova York que provocou uma crise econômica mundial. Os milionários ficaram pobres de um dia para o outro, bancos e empresas faliram e milhões de pessoas perderam seus empregos.


Ainda na década de 30 as formas do corpo da mulher começam a ser valorizadas, as saias ficam longas e os cabelos começaram a crescer. Os vestidos tem modelo justo e reto, além de terem um acessório frequente uma pequena capa ou um bolero. Devido a crise são descobertos materiais mais baratos como o algodão, a baquelita (um plástico maleável), que dava um efeito cintilante etc. Nos vestidos de noite são vistos corte enviesado e o decote nas costas. Esta é a década em que as mulheres irão recorrer ao sutiã, um tipo de cinta ou um espartilho.

A mulher dessa época devia ser magra, bronzeada e esportiva, o modelo de beleza da atriz Greta Garbo. Seu visual sofisticado, com sobrancelhas e pálpebras marcadas com lápis e pó de arroz bem claro foi copiado pelas mulheres.

O cinema foi o grande referencial de disseminação dos novos costumes. Hollywood, através de suas estrelas, como Katharine Hepburn e Marlene Dietrich, e de estilistas, como Edith Head e Gilbert Adrian, influenciaram milhares de pessoas.

No começo as bolsas mantiveram um tamanho pequeno, porém da década foram ficando largas e mais sofisticadas, fabricadas com diversos tipos de couro como o de cobra, crocodilo, jacaré, bezerro, leão marinho, etc. Para aumentar o espaço nas bolsas para os kits de maquiagem em 1935 os espaços internos das bolsas passaram a ser mais funcionais com compartimentos para maquilagem que vinham com espelho, porta batom e compartimento para dinheiro.

Ainda em 1935 o sapateiro italiano Salvatore Ferragamo, lança sua marca. Devido a crise na Europa, ele começa a usar materiais baratos, como o cânhamo, a palha e os primeiros materiais sintéticos. Sua principal invenção foi à palmilha compensada. Além Ferragamo, Chanel, Madeleine Vionnet e Lanvin continuam a fazer sucesso. Além disso, a estilista italiana Elsa Schiaparelli inicia criações, inspiradas no surrealismo. Outro destaque é Mainbocher, o primeiro estilista americano a fazer sucesso em Paris.

No final dos anos 30, com a aproximação da Segunda Guerra Mundial, que estourou na Europa em 1939, as roupas já apresentavam uma linha militar, assim como algumas peças já se preparavam para dias difíceis, como as saias, que já vinham com uma abertura lateral, para facilitar o uso de bicicletas.

Fonte:

 Fotos: Google Imagens

Postagens relacionadas

? Década de 20

24 abr 2014


A moda é cíclica uma peça que você não gosta hoje pode te encantar no futuro. Os vestidos de franjas, os vestidos sem marcação na cintura, os chapéus, o colar de pérolas, os cortes curtos super modernos. Você sabe de onde vieram? Simples lá de 1920, foi nessa década que ganhamos essas peças tão importantes no vestuário.

Na década de 20 as mulheres ganham o direito de mostrar as pernas com vestidos curtos, uma parte do colo e as costas ficavam à mostra. Os lábios também ganharam vivacidade com os batons carmins e passados em forma de coração, já os olhos ganham esfumados marcados de preto. Os estilistas de destaque das celebridades foram Coco Chanel e Jean Patou.


O tecido mais visto nas ruas e nos filmes era a seda. As meias em tons de bege e o chapéu com o modelo “cloche”, só podia ser usado com os cabelos curtos. O biótipo desejado era de mulheres sem curvas, sem seios e com quadris pequenos.


Em 1927 a estilista Coco Chanel traz para moda peças com cortes retos, capas, blazers, cardigans, colares de pérolas e boinas. Outro grande estilista foi Jean Patou que teve destaque com a linha “sportswear”, criou coleções para a estrela do tênis Suzanne Lenglen, que as usava dentro e fora das quadras e suas roupas de banho revolucionaram a moda praia.

A bolsa na década de 20 foi a estilo carteira, tanto para o dia como para noite. Com uma superfície plana permitia aplicações de bordados ou estampas. Os sapatos com linhas geométricas, tiras no peito do pé, recortes, cortes e aberturas, combinando com saltos, médios ou altos, mas nunca finos.

Veja mais imagens da década de 20 na minha página no Polyvore ()



Fonte: e blog
Imagens: Google Imagens

12345...10...»