TAG: Quinta Stylist

? Pedro Lourenço

15 mar 2012


Pedro Lourenço, paulistano, assinou sua primeira coleção com apenas 12 anos de idade, em 2003. Lourenço fez sua estreia profissional no mundo da moda com a Carlota Joakina, marca de Glória Coelho, sua mãe. Pois é, Pedro Lourenço é filho dos estilistas: Gloria Coelho e Reinaldo Lourenço. Em 2005 na edição de inverno do SPFW lançou a sua grife que leva o seu nome. Hoje, aos 21, comanda a grife, controla cada detalhe das peças encaminhadas aos 24 pontos de venda que mantém no Brasil e em outros países.

Com a recente apresentação em Paris, soma três coleções mostradas na Semana do Prêt-à-Porter da capital francesa. O estilista explora a linguagem digital e urbana de sua geração. Lourenço se veste com peças sóbrias, fala francês e inglês fluentemente. Além da própria marca, desenvolve uma linha feminina para a Daslu e outra masculina para a rede de fast fashion Riachuelo.
Fonte e Fotos:

? Zuzu Angel

8 mar 2012


Zuleika Angel Jones, Zuzu Angel, mineira nasceu em Curvelo no dia 05/07/21 e faleceu no Rio de Janeiro no dia 14/04/76. Eu escolhi Zuzu hoje no dia internacional da mulher por conta da sua luta, por representar a mulher guerreira que luta pelo que acredita. Nascida no interior de MG mudou-se quando criança para Belo Horizonte e lá começou a costurar e criar modelos. Em 1947 foi morar no Rio de Janeiro e nos anos 50 iniciou seu trabalho como costureira. No princípio dos anos 70 abriu uma loja de roupas em Ipanema. Seu estilo misturava renda, seda, fitas e chitas com temas regionais e do folclore, com estampados de pássaros, borboletas e papagaios. Zuzu também trouxe para a moda as pedras brasileiras, fragmentos de bambu, de madeira e conchas. Os amigos a ajudaram a expandir seus negócios e começar a realizar desfiles de moda nos EUA. Nessa época no exterior Zuzu conheceu o americano Norman Jones, com quem se casou voltou para o Rio de Janeiro e se mudou para Salvador. Lá, Zuzu engravidou e deu à luz seu filho, chamado Stuart Edgar. Então, na virada dos anos 60 para os anos 70, Stuart Jones, estudante de economia, passou a integrar as organizações que combatiam a ditadura militar, filiando-se ao MR-8, grupo guerrilheiro do Rio de Janeiro. Preso em 14/04/1971, Stuart foi torturado e morto pelo serviço de inteligência da Aeronáutica (CISA) no aeroporto do Galeão e dado como desaparecido pelas autoridades. A partir daí, Zuzu entraria em uma guerra contra o regime pela recuperação do corpo de seu filho, envolvendo até os Estados Unidos.

Como estilista, ela criou uma coleção estampada com manchas vermelhas, pássaros engaiolados e motivos bélicos. O anjo, ferido e amordaçado em suas estampas, tornou-se também o símbolo do filho. Usando de sua notoriedade internacional, ela envolveu celebridades de Hollywood como Joan Crawford, Liza Minelli e Kim Novak em sua causa e durante a visita de Henry Kissinger, então secretário de estado norte-americano, ao Brasil, chegou a furar a segurança para entregar-lhe um dossiê com os fatos sobre a morte do filho, também portador da cidadania americana. Foram anos em busca do corpo do filho, sem poder dar-lhe um enterro, o corpo de Stuart nunca foi encontrado e consta como desaparecido político brasileiro. Zuzu morreu na madrugada de 14/04/1976, num acidente de carro na Estrada da Gávea, à saída do Túnel Dois Irmãos (RJ). O carro dirigido por ela, um Karmann Ghia, derrapou na saída do túnel e saiu da pista, chocou-se contra a mureta de proteção, capotando e caindo na estrada abaixo, matando-a instantaneamente. Uma semana antes do acidente, Zuzu deixou na casa de Chico Buarque de Hollanda um documento que deveria ser publicado caso algo lhe acontecesse, em que escreveu: “Se eu aparecer morta, por acidente ou outro meio, terá sido obra dos assassinos do meu amado filho”.

Depois de sua morte foi homenageada em livros, música e filme. Chico Buarque compôs a música Angélica, em 1977, em homenagem à estilista. Em 1988, o escritor José Louzeiro escreveu o romance “Em carne viva”. Em 2006, o cineasta Sérgio Rezende dirigiu Zuzu Angel, filme que retrata a vida da estilista. Em 1993, a filha de Zuzu, a jornalista Hildegard Angel, criou o Instituto Zuzu Angel de Moda do Rio de Janeiro, em memória da mãe. Atualmente, estilistas como Ronaldo Fraga, Tufi Duek, Marciana e Maria Fernanda Lucena homenagearam a estilista Zuzu Angel em suas coleções.
Fonte e fotos:

? Schiaparelli

2 mar 2012


Elsa Schiaparelli nasceu em 10 de setembro de 1890, no Palazzo Corsini de Roma. Em 1922 desenhava e já vendia seus primeiros tricôs. Em 1927 “Schiap” encorajada pelos amigos abriu sua empresa de confecção de roupas e mudou para uma sala na rue de la Paix.

Em 1934, lançou uma linha de perfumes. Schiaparelli era amiga de artistas como Marcel Duchamp, Picabia, Man Ray, Stieglitz, Jean Cocteau, Christian Bérard e Salvador Dalí. Com o seu sucesso Schiaparelli tornou se a maior rival de Coco Chanel. Seus estilos eram opostos enquanto Chanel criava roupas funcionais para a mulher moderna, Shiap fazia modelos surrealistas, exóticos. Seu estilo elegante e sofisticado resultava em roupas às vezes muito excêntricas. A estilista inovou ao usar: material plástico e criou com eles bijuterias; fechava as roupas com zíperes tingindo eles na cor dos tecidos; detalhes de pautas musicais bordadas em vestidos de baile, cuja fivela do cinto era uma caixa de música; estrelas e luas aplicadas em uma jaqueta e notícias de jornal impressas em lenços e écharpes.

A estilista criou também com Dalí o famoso chapéu que invertia a posição de um sapato. Suas bolsas também não eram menos divertidas, pois acendiam e tocavam música. Schiaparelli teve entre seus assistentes os estilistas: Pierre Cardin e Hubert de Givenchy. A estilista inovou na área comercial ao licenciar seu nome como marca, depois de criar óculos e sapatos. Apesar dos esforços para continuar a produção, os tempos mudaram para Schiaparelli. Então, encerrou suas atividades como estilista em 1954, mas continuou com sua loja. Nesse mesmo ano publicou sua autobiografia, “Shocking life”, novamente a cor intensa que demonstrava sua ousadia, excentricidade e o impacto que desejava causar. Schiaparelli morreu em 1973, aos 83 anos. Em 2004, o museu da moda e do têxtil na França abriu suas portas para as criações da estilista e expôs 173 vestidos criados entre 1927 e 1954, além de acessórios, desenhos e fotos.

Curiosidades:
– Filha do decano da Universidade de Roma, especialista em línguas orientais e sobrinha do astrônomo Giovanni Schiaparelli que descobriu os canais do planeta Marte.
– Estudou filosofia na Universidade de Roma e publicou um livro de poesias eróticas que chocou sua família conservadora. Por isso, foi enviada pela família para um convento, onde fez greve fome.
Alguns de seus vestidos tinham estampas criadas por Dalí um deles era de seda branca com borboletas multicoloridas desenhadas por Dalí.
– Seu estilo moderno e excêntrico a fez criar um tom de rosa eletrizante, o qual ela chamou de “shocking”, rosa-choque. Em 1938, Schiap lançou um perfume com o mesmo nome – “Shocking”.
– Criou o guarda-roupa de vários filmes. Vestiu principalmente Mae West em ” Every Day’s a Holiday ” em 1937. Desenhou as roupas de Zsa Zsa Gabor na produção cinematográfica de Moulin Rouge.
Fonte: ; ; ;
Fotos:

? Burberry

23 fev 2012


Em 1856 Thomas Burberry com 21 anos resolveu abrir uma loja de roupas. Burberry foi aprendiz de tecelão e por isso se preocupava com a qualidade de suas peças. A inovação veio em 1880 com a criação do gabardine um tecido impermeável, respirável e resistente para dias de chuva. Os casacos feitos com este tecido foram um sucesso de vendas, até o exército britânico adotou a moda. Então Burberry criou um modelo primário em 1895 e o trench coat em 1914. O xadrez Burberry é a marca registrada e foi criado por volta de 1920, fazendo às vezes de forro para os casacos modelo trench coat. A empresa foi vendida em 1950 e perdeu um pouco de sua identidade, mas não foi esquecida. Há cerca de 10 anos, decidiram revolucionar a cara da Burberry para rejuvenescer a marca e torná-la fashion.

Kate Moss foi contratada para a campanha publicitária, novas linhas foram criadas, como a Burberry London, que é o segmento mais conhecido e rentável da Burberry até hoje, sob a direção de Christopher Bailey, que trouxe sua experiência em marcas como Gucci e Donna Karam para revitalizar a Burberry.

.:Curiosidades:.
Emma Watson foi modelo da marca e devido ao sucesso da saga Harry Potter a atriz influenciou jovens a conhecerem a marca.
Fonte:
Foto: Logo ; Kate Moss site e Emma Watson site .

Postagens relacionadas