TAG: Quinta Stylist

Arezzo

30 ago 2012



Fundada em 1972, pelos irmãos Anderson e Jefferson Birman, a Arezzo é a maior marca de varejo de calçados femininos fashion da América Latina, reunindo conceito, alta qualidade e design contemporâneo. Hoje a rede de franquias Arezzo possui 308 lojas distribuídas em mais de 90 municípios e presentes em todos os estados brasileiros. O Grupo acumulou R$ 624 milhões de receita líquida; e mais de oito milhões de produtos vendidos – entre sapatos, bolsas e acessórios – e mais de 1 milhão de clientes cadastrados segundo dados dos últimos doze meses. Em solo internacional, a Arezzo contabiliza atualmente sete lojas nos seguintes países: Bolívia, Paraguai, Portugal e Venezuela, além de diversos outros países através do canal multimarca. A consolidação da marca no mercado nacional pode ser observada também por seu histórico de premiações: Anderson Birman como Líder Empresarial (Prêmio Fórum de Líderes); 1000 Maiores Empresas listadas pelo Jornal Valor Econômico (Especial Valor 1000); sete vezes Melhor Franquia do Brasil no Segmento Vestuário, Calçados e Acessórios (Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios); Prêmio Alshop Visa, recebendo ainda o Prêmio Hors Concours pelo voto do consumidor; oito anos de Excelência em Franquias (Associação Brasileira de Franchising); e Alexandre Birman escolhido como Talento Revelação do Ano, recebendo o Prêmio Vivian Infantino – Talento Emergente, pela Revista Norte-americana Footwear News.

Fonte e Fotos:

Andrea Marques

24 ago 2012



Andrea Marques é publicitária e buscou na moda a sua forma de comunicação. Estudou no Senai-Cetiqt no Rio de Janeiro e após a conclusão do curso foi buscar no FIT de Nova Iorque, especialização em estamparia e design de moda. Em 1992 retornou ao Brasil e ingressou no grupo Maria Bonita à convite de Maria Candida Sarmento. Em 1995 assumiu a direção criativa da Maria Bonita Extra, assinando as coleções até o verão de 2008. Depois de 15 anos à frente da marca, desligou-se do  grupo em 2007 para criar a sua própria empresa. A Andrea Marques foi fundada em 2007 à partir do desejo de criar roupas que traduzissem a sua paixão por estampas, cores e acabamentos delicados em formas contemporâneas e femininas. Em outubro de 2007 apresentou a primeira coleção da sua Andrea Marques. Em abril de 2008 abriu a primeira loja, na Garcia D’Ávila em Ipanema. Em maio de 2009 inaugurou sua fábrica-sede em Copacabana, Rio de Janeiro. Em Janeiro de 2010 passou a fazer parte do line up de desfiles do Fashion Rio, apresentando suas coleções junto ao calendário oficial. Em maio de 2010 inaugurou showroom próprio em São Paulo e hoje conta com 40 pontos de venda em multimarcas no Brasil.
MEU TOP FIVE DE PEÇAS DELA PARA C&A
Vestido

Camisa

Macacão
Vestido
Blazer
Fonte: site oficial da
Fotos das peças: Andrea-Marques-amarca

Karen Walker

9 ago 2012



Karen Walker é uma estilista de estilo original, sem esforço e sem pretensões. Desde 2002, tem trabalhado de perto com o estilista Heathermary Jackson em todas as coleções. O tema recorrente é tomar extremos e empurrá-los juntos – masculino e feminino, luxo e rua, escuro e super-cute. Há também uma linha de difusão, Hi There de Karen Walker, disponível exclusivamente nos Estados Unidos através da loja Anthropologie e exclusivamente na Austrália através da Myer. A estilista foi vencedora do Prix de 2007 Marie Claire um prêmio de melhor talento criativo.
Últimos empreendimentos colaborativos incluem uma pop up store em East Village de Nova York com a loja conceito The Den, um projeto de composição com botas no Reino Unido, um batom e sombra da marca Clinique. Walker já tem 600 lojas em todo o mundo em cidades como Nova York, Londres, Los Angeles, Sydney e Tóquio. Há também cinco lojas próprias Karen Walker na Nova Zelândia. Ela faz parte do grupo da loja de departamento em Auckland. A loja é uma visão moderna sobre a tradicional loja de departamentos e inclui uma boutique Karen Walker ao lado o melhor da beleza Auckland, a arte, interiores, moda e alimentos. É uma experiência de compra de 360 ??graus que se estende por três pisos. Celebridades como Rihanna, Florence Welch e Natalie Portman adoram seu trabalho. Karen vive na Nova Zelândia com seu marido Mikhail e sua filha Valentina.








Fonte e Fotos: About KW

Fendi

2 ago 2012


Adele Casagrande, fundadora da Casa de Fendi, abriu uma pequena loja de peles e artigos de couro, em Roma, em 1918. Em 1925, Adele casou-se com Edoardo Fendi, e trocou o nome de sua loja para o de seu sobrenome. A Fendi possuía uma longa lista de clientes cativos em 1938. Com o tempo, os negócios continuaram a crescer e cada uma das cinco filhas de Adele ingressaram no negócio da família. Edoardo morreu em 1954, deixando a empresa nas mãos de Adele e suas filhas. Paola assumiu o negócio de peles, Anna concentrou-se em couro, Franca no relacionamento com clientes, Carla passou a ser a coordenadora dos negócios, e Alda assumiu o departamento de vendas. Com cinco ativas e vibrantes mulheres jovens ao leme, A Casa de Fendi começou a subir os degraus da alta costura. 
Em 1965, o designer alemão Karl Lagerfeld juntou-se à Fendi, trazendo o seu apurado senso de moda e conhecimento em design. Lagerfeld criou o logo “FF” invertido, o que acabaria por se tornar um símbolo mundial da marca. Atualmente, Maria Silvia Venturini Fendi, filha de Anna Fendi, é chefe de departamento de estilo. A Casa dos Fendi continua um passo à frente dos outros, com desenhos de ponta e acessórios em destaque. Fendi tem tudo a ver com alta moda e ficção, com criações inovadoras e coleções que nunca deixam de impressionar e surpreender a indústria da moda. Acima de tudo, eles continuam a produzir peles de alta qualidade e luxuosas. 
Embora tenha morrido em 1978 com 81 anos, Adele Fendi criou um império de moda que excedeu todas as suas expectativas. O uso de pele animal por parte da grife, entretanto, vem sendo muito criticado: basta entrar no site oficial da marca para perceber o uso de couros de cobras e peles de ursos, entre outros animais, como vestimentas. Um exemplo do mais recente protesto ocorreu no mês de Julho de 2011 na Coréia do Sul, em que muitos civis rasgaram um animal de mentira e deixaram escorrer sangue falso do mesmo sobre o nome da Fendi.  “A aproximação da aposentadoria das cinco irmãs Fendi gerou um debate sobre o futuro da companhia. Somando filhos e netos, eram 30 acionistas. Então, em 2004, a família decidiu vender a etiqueta para o conglomerado LVMH. Silvia se manteve como diretora criativa, é a única da família na empresa” (Edição impressa da revista Elle de Julho)  

Fotos:
Fonte: